Prefeitura embarga obras em trecho da BR-040

Segundo secretária, reforma começou a ser realizada sem autorização. Comerciantes reclamam que mudanças irão prejudicar seus negócios

A prefeitura de Valparaíso de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, embargou as obras que estavam sendo realizada no BR-040. Segundo a administração, a reforma começou sem autorização, mas a concessionária que administra a rodovia afirmou que está negociando a retomada do serviço. Comerciantes reclamam que as mudanças irão prejudicá-los.

Segundo a secretária de Infra-estrutura, Cynthia Borges, a obra fecha as entradas na cidade.
"A obra está no perímetro urbano, eles não se atentaram em fazer de acordo com as necessidades da cidade e a influência de qualquer decisão deles pode acabar com a cidade e os comércios na frente da BR. Com as intervenções que eles estão fazendo, o comércio vai morrer e a única fonte de renda da cidade são os comércios", explica.

O trabalho consiste na construção de pontos de apoio ao longo do perímetro urbano. Outros 21 pontos já estão prontos e em funcionamento ao longo do trecho.

Apesar disso, a obra tem sido motivo de reclamações dos comerciantes locais. "Da forma que estão comentando que vão fechar todas essas vias, realmente vai prejudicar sim o nosso trabalho aqui", disse o comerciante Willian Vieira.

O técnico de telefonia Leonardo Araújo reclama das mudanças e dos acessos interditados. "Vai ser muito ruim porque vai tirar o acesso a BR, que é uma via mais rápida em certo horário do dia", lamenta.
Prefeitura embarga obras em trecho da BR-040, em Valparaíso de Goiás

Já o comerciante Vilmar Lopes tem uma garagem de veículos em frente a rodovia e acredita que agora os clientes vão ter mais dificuldade para chegar até a loja. "Eu vi o projeto que vai entrar lá, vai ficar 6 metros só pra fazer o jardim e não vai ter estacionamento mais. Quem vai vir comprar se não tem lugar pra estacionar e não tem acesso pra vim pra nossas lojas?", questiona.

A Via 040, concessionária que administra a rodovia, disse que está seguindo com o acordo feito com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), que segundo a empresa, é quem deve fazer essa fiscalização. A concessionária disse ainda que está conversando com a Prefeitura de Valparaíso para retomar as obras.