Metrô assina contrato para conclusão das obras da Linha 17-Ouro

Empresa venceu a licitação ao apresentar a melhor proposta para o ramal metroviário, com o valor de R$ 494,8 milhões   
 
Resultado de imagem para metro sp
O Metrô de São Paulo assinou, nesta segunda-feira (13), o contrato para a retomada das obras civis da Linha 17-Ouro. Os trabalhos serão feitos pela Constran e o Metrô discutirá com a empresa o cronograma dos trabalhos.

Além da conclusão da via, que está com 86% de execução, também caberá à Constran o acabamento do Pátio Água Espraiada e das estações Aeroporto de Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin Paulista, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro e Chucri Zaidan.

A empresa venceu a licitação ao apresentar a melhor proposta, com o valor de R$ 494,8 milhões. Anteriormente, a construção da via era de responsabilidade do Consórcio Monotrilho Integração (CMI), cujo acordo foi rescindido unilateralmente pelo Metrô após constantes atrasos e redução no ritmo das obras. Os problemas também levaram a aplicação de multas pelo Metrô no valor de R$ 88 milhões.

A outra parte dos serviços que estava no escopo do contrato com o CMI – fabricação e fornecimento de trens e sistemas de sinalização – está na fase final da licitação. Os demais serviços para a implantação da Linha 17-Ouro ocorrem normalmente com a construção das oito estações do trecho prioritário, que terá 7,7 km de extensão, ligando o Aeroporto de Congonhas à estação Morumbi, da CPTM, conectando-se à rede de metrô na estação Campo Belo (Linha 5-Lilás).